Espelho de Ojesed

No nosso grupo do RAT no Whatsapp estavamos comentando sobre Harry Potter e decidi fazer uma brincadeira aqui com vocês. Eu gostaria de saber das conquistas e desejos de vocês. Se pudessem se olhar no Espelho de Ojesed, o que veriam?

Para quem não sabe, o Espelho de Ojesed trata-se de um magnífico espelho, da altura do teto, com uma moldura de talha dourada, aprumado sobre dois pés em garra. Há uma escrição entalhada no alto dizendo: Oãça rocu esme ojesed osamo tso rueso ortso moãn, que significa: não mostro seu rosto mas o desejo em seu coração, escrito de trás para frente. Quando você olha no espelho, você vê o desejo mais profundo e desesperado de seu coração. Harry Potter ao se olhar no espelho se viu com seus falecidos pais. Rony se viu mais velho, chefe dos monitores e capitão do time de quadribol. Voldemort enxergava a si mesmo, o bruxo mais poderoso.

“… O homem mais feliz do mundo poderia usar o Espelho de Ojesed como um espelho normal, ou seja, ele olharia e se veria exatamente como é.”

Se eu me olhasse no espelho, eu me veria mais velho, com dois filho. Embora eu faça Direito e pretendo ser Juiz, eu me veria como um cantor famoso mundialmente e com meu livro lançado. Minha melhor amiga ao meu lado sempre e em paz com meus pais. E vocês?

“Porém, o espelho não dá o conhecimento nem a verdade, e já houveram homens que definharam diante dele, fascinados pelo que viram, ou enlouqueceram sem saber se o que o espelho mostrava era real ou sequer possível.”

[Resenha] Feita de Fumaça e Osso, Laini Taylor

Recebi esse livro de presente da Babi e fiquei muito curioso logo de cara. Feita de Fumaça e Osso é um bom livro para quem curte um romance com um toque sobrenatural. Nada de vampiros ou lobisomens e sim um mistério envolvendo uma garota aparentemente normal, tirando o fato de que não se lembra dos seus pais verdadeiros e que foi criada por criaturas de, literalmente, outro mundo.

”Não são só o cabelo azul e as várias tatuagens que fazem de Karou uma garota diferente. Ela não se lembra dos pais e, criada no covil de um demônio, não entende por que uma criança humana foi acolhida ali. Muito menos sabe o verdadeiro motivo por trás das estranhas missões que desempenha para seu protetor, recolhendo dentes ao redor do mundo. Em um instante ela pode estar fazendo rascunhos no Liceu de Arte em Praga e, minutos depois, estar no metrô de Paris, carregando presas de elefante, ou em Marrakech, negociando com um mendigo. Não é exatamente normal, mas em um universo em que anjos são seres temidos e o preço da magia é a dor, essa é a única vida que ela conhece. Pelo menos por enquanto.”

Como citado acima, Karou foi criada por um demônio, Brimstone e mais alguns outros seres. Esses demônios são chamados de Quimeras, criaturas que são uma mistura de animais e humanos. Os dentes são usados para um tipo de magia muito diferente e Karou é encarregada de ir em busca deles. A história se passa em Praga, mas o local onde Karou foi criada fica em um universo paralelo e para chegar lá é preciso atravessar uma porta especial. Não é a única porta na Terra, existem várias espalhadas pelo mundo. Com isso, Karou viaja para diversas cidades recolhendo dentes. Missão essa que ela tem que cumprir sagradamente, além dos seus deveres como uma garota normal.

Com o desenrolar da história, acontecimentos vêm preocupando o demônio Brimstone. Homens a mulheres com uma beleza fora do normal e com asas em suas sombras são vistos pelo mundo fazendo marcas em portas que são usadas como portais. Em uma de suas viagens, Karou é ataca por um desses homens, que por pouco não a mata. Mais tarde, acontece um outro encontro entre os dois e ela descobre quem é esse homem. Seu nome é Akiva, um serafim, raça inimiga dos quimeras. É revelado sobre o passado do serafim e assim começa a surgir uma ligação entre os dois. Ao mesmo tempo, todas as portas portais são marcadas e a magia que liga elas ao outro mundo desaparece e Karou fica “trancada” no mundo humano, sem conseguir fazer contado com sua família quimera. Karou descobre que existe algo muito além do simples sentimento ligação entre ela e Akiva, mas só saberia com as lembranças de seu passado. Parte dessas lembranças são contadas no final do livro.

O que mais gostei do livro foi das explicações de como surgiram as criaturas e admito que a autora teve uma grande imaginação para dar essa explicação. O final chega a ser um pouco cansativo mas nunca tedioso. A autora criou com maestria um desfecho para que o livro possuísse uma continuação, já que ficaram muitas perguntas sem respostas. Já fiquei sabendo dos outros livros e quero muito ler. A capa do livro é muito bonita e uma coisa que eu não esperava, que foi a explicação do título do livro, aparece nos últimos capítulos. Espero que gostem.

[Resenha] Deixe a Neve Cair, John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle

Deixe a Neve CairDeixe a Neve cair é uma coletânea com três contos de Natal, cada um escrito por um desses autores: John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle.

Diferente de outras coletâneas que já tive oportunidade de ler, em Deixe a Neve Cair, os autores usam um lugar comum e uma situação em comum para poder escrever suas histórias. Na primeira nos é apresentado o problema, uma nevasca, e alguns personagens que vão voltar a aparecer nos outros dois contos.

Achei interessante o fato de cada um se focar em um personagem diferente para desenvolver sua história. A nevasca que faz o trem parar no primeiro conto, a Waffle House vista do trem, o Homem Alumínio, as líderes de torcida e o garoto louco para conseguir ligar para sua namorada.

O primeiro conto, de Maureen Johnson (meu preferido), conta a história de Jubileu, que precisa ir para a casa dos seus avós e perder a ceia de Natal com seu namorado perfeito, Noah, depois que seus pais são presos por uma situação pra lá de estranha…

O segundo, do John Green, nos mostra três amigos que precisam encarar a nevasca para chegar na Waffle House e terem uma noite divertida ao lado de algumas lindas Líderes de Torcida que querem, ao todo custo, um tabuleiro de Twister para brincar.

O terceiro, da Lauren Myracle, nos vai explicar o motivo de o garoto do trem ter ficado tão preocupado ao não conseguir falar com a namorada na noite de Natal.

Os fatos se juntam e se misturam, formando uma história interessante e gostosa de ler. Contos são rápidos, o que é mais uma característica boa para um livro, principalmente para aquelas pessoas que estão procurando uma leitura de um dia só. Me diverti bastante e recomendo.

Sobre Faculdade, Fim de Período e Carreira

Já estou de férias há 3 semanas porque não precisei fazer as provas do segundo Bimestre. A Faculdade inventou umas aulas optativas por causa do Enade e, devido à minha pontuação no Simulado, consegui nota suficiente para passar sem precisar fazer provas… O que foi bom, já que faz muito tempo que não vou à faculdade.

Porém, os Relatórios de Estágio continuam, o TCC continua e a vida continua. É engraçado como o fim de período chega pra balançar e atrapalhar a vida de todo mundo. E o fim do período acontece na faculdade e no trabalho ao mesmo tempo, o que acaba me deixando um pouco louca.

Essa semana eu termino meu estágio (faltam poucas horas) e na segunda feira, se tudo der certo, entrego o Relatório. Tenho que confessar que fiquei empolgada com meu Relatório neste semestre. O estágio tem me rendido linhas e linhas e, todo dia, acrescento ou mudo alguma coisa, tentando deixar tudo na mais perfeita ordem pra que a nota, desta vez, seja 10 e não 9,2 como foi no período passado.

Não gosto de fazer Estágio. Acho cansativo, acho estressante… De qualquer forma, ir pra escola e me encontrar com o pessoal de lá todos os dias é interessante. Ver os alunos se matando no intervalo, dar umas aulas e perceber que eles estão entendendo a matéria, chamar atenção, cobrar atividades… Tudo isso é uma experiência que acaba acrescentando pelo menos alguma coisinha pra minha vida e pro meu currículo.

Não quero ser professora pro resto da vida e percebi isso durante o estágio (na verdade, já pensava nisso antes, mas nunca conseguia decidir o que queria fazer). Comecei a pensar na minha vida (e já falei sobre isso aqui no blog diversas vezes) e acabei tomando uma decisão que, acredito, mudará minha vida de uma forma meio maluca.

Fui pro sexto e último período do curso de Letras. Não vou abandonar agora, na reta final, mas quis me matricular, ao mesmo tempo, no segundo período de Direito. Conversei na faculdade e como no primeiro período eu não faria todas as matérias, consegui uma promoção pro segundo (as matérias que faltam eu cursarei no ano que vem) e acabei encarando o desafio.

No dia 04 de Agosto as coisas começam, a correria vai ser totalmente diferente da correria deste fim de semestre mas tenho certeza de que, no final, tudo vai valer a pena. Em Dezembro vou segurar meu diploma de Letras, vou participar da minha colação, vou ser uma pessoa com Curso Superior e vou continuar na luta, correndo atrás daquilo que eu quero. É tenso, chato, estressante… Mas gratificante no final.

[Seriado] Lost in Austen

Ultimamente eu tenho tido muita vontade de conhecer séries novas por causa do TV Show Time. Foi por causa disso, e por ter terminado de assistir a The Lizzie Bennet Diaries recentemente, que eu acabei baixando os 4 episódios de Lost in Austen.

Lost in Austen

Esta série é uma adaptação britânica de 2008 de Orgulho e Preconceito. Amanda Price é apaixonada por este livro, fã de Jane Austen, e está sempre pensando em como seu namorado poderia ser mais romântico e um pouco mais parecido com o Darcy. Depois de um pedido desastroso de casamento, ao qual ela respondeu com um “não”, acaba recebendo a visita de Elizabeth Bennet e parando no universo de Orgulho e Preconceito ao passar por um portal que existe em seu banheiro.

Primeiramente, Amanda se sente realizada ao se ver naquele lugar, mas, ao perceber que o portal a trancou no lado de dentro, se desespera ao pensar que precisa sair, voltar para sua vida e levar Elizabeth de volta para sua casa e para sua história.

Se desespera ainda mais ao ver que todos os acontecimentos do livro acabam virando lenda. Nada está acontecendo da forma correta, Orgulho e Preconceito já não é mais Orgulho e Preconceito. Isso acaba deixando Amanda Price cada vez mais desesperada e frustrada ao conhecer seus personagens preferidos e saber que nada do que acontece na história está acontecendo no momento. E tudo isso por causa dela, que acabou ficando presa naquele lugar.

Para os fãs de Jane Austen, a série é uma boa pedida. Quem gosta de ver essas adaptações vai acabar se apaixonando pelo universo criado. É uma série rápida, engraçada e apaixonante.